CARACTERÍSTICAS HISTÓRICAS

 

Por volta do século XVIII, atraídos pelas riquezas naturais, portugueses e nativos começaram a explorar a região que mais tarde deu origem ao município de Tanhaçu.

A penetração no território deu-se em 1720, pela expedição comandada pelo bandeirante André da Rocha Pinto, que se estabeleceu na região desenvolvendo a agropecuária, em virtude de uma terra de solo fértil e águas abundantes. Foram encontrados índios maracaiares e tapajós habitando as margens do rio das Contas. Seu desaparecimento supõe-se vem a ocorrer por volta de 1732, quando se levantam as primeiras casas, erigidas por ordem de Sebastião da Rocha Pinto, filho de André da Rocha Pinto, já então falecido, formando assim, o povoado de Brejo Grande (atual Ituaçu) o qual Tanhaçu fazia parte.

Cerca de pedra

 
A partir de 1780, intensifica-se o povoamento na região, resultando na formação de vários lugarejos, entre eles as fazendas Ribeirão, Riachão, Palmeira, Anjico, Bicudo e Laços.

Em 1935 pela Lei Estadual nº 9.321, o povoado de Laços torna-se distrito do Município de Ituaçu e lá aconteciam feiras, missas, etc.

Ainda em 1935, o povoado Arraial dos Porcos, cuja pecuária desenvolvida era principalmente a de suínos, passa a ser distrito e tem seu onomástico modificado para Tanhaçu, nome de origem tupi-guarani, devido a região ser habitada inicialmente por índios e significa “Porco Grande”.

Caixa de texto: Trem de Passageiro na Estação de OurivesEm 1942 inaugura-se a linha férrea que ligava a cidade de Cachoeira de São Félix ao povoado de Ourives, com uma locomotiva a vapor transportando pessoas e mercadorias. Essa linha férrea tinha passagem pelo povoado de Tanhaçu e por se localizar mais próxima da cidade de Ituaçu, as pessoas que se deslocavam da capital para o interior, vinham de trem até Tanhaçu e do distrito utilizava outro meio de transporte (cavalo, carro-de-boi, etc) para chegar até a cidade de Ituaçu.

Trem de Passageiro Chegando à Estação de Tanhaçu

 
Viajantes e comerciantes de várias regiões foram atraídos para o povoado de Tanhaçu, fixando suas moradias e desenvolvendo seus comércios. Alguns dos primeiros moradores foram Sabina Gomes Ardir, Lourival Messias, Filogônio Santana, Durvalino Pereira, Lídio Pereira, Possidônio Santana, Alfredo Aguiar, Hermínio José dos Santos, Arlindo Pitanga, João Ribas entre outros.

Com o advento da ferrovia e por se localizar junto à linha férrea, em 1953 a sede distrital foi transferida de Laços para  Tanhaçu. A cidade foi crescendo pela iniciativa de seus moradores, contrariando as condições climáticas e geográficas desfavoráveis, ao surgimento de uma cidade no exato local onde a cidade nasceu. Longe dos rios que cortam o município, a cidade de Tanhaçu nasceu, graças à Ferrovia Leste Brasileiro, que proveu a canalização de água do Rio Ourives até a Estação de Tanhaçu (cerca de 18 Km).

Um dos grandes acontecimentos em Tanhaçu, ápice para o seu crescimento, foi a realização da primeira feira. Os senhores Filogônio Santana e Lourival Messias tiveram a iniciativa de pedir autorização ao prefeito de Ituaçu para a efetuação da mesma. A 7 de julho de 1945 aconteceu a referida feira e todos os seus produtos foram vendidos, atraindo muitas pessoas e feirantes das regiões vizinhas. Devido o sucesso, começou a ser realizada semanalmente e permanece até os dias atuais.

 Com o advento da ferrovia e a realização da primeira feira, o comércio em Tanhaçu prosperou. Uns dos primeiros comerciantes foram Lourival Messias (vendia cereais, confecções e tecidos), Filogônio Santana (vendia tecidos), Narciso Caetano (tinha um armazém), José Azevedo (proprietário do primeiro posto de gasolina), entre outros.

Em 22 de setembro de 1961, pela Lei Estadual nº 1493 cria-se o município de Tanhaçu que tem seu território desmembrado de Ituaçu. Na ocasião, era composto dos distritos de Tanhaçu (sede) e Suçuarana, como permanece até hoje.

Em 03 de outubro de 1962, acontece a primeira eleição para prefeito e vereadores.

Em 1963, Rodrigo Gomes Alves toma posse como primeiro prefeito do município (1963-1966). Antes de concluir o mandato, faleceu repentinamente. Assumiu a prefeitura, o então presidente da Câmara de Vereadores, o senhor José Ferreira Coelho.

Foram prefeitos do município: Rodrigo Gomes/José Fereira Coelho (1963 – 1966) Gerino Fernandes de Souza (1967-1970; 1973-1976), Valdívio Oliveira Aguiar (1971-1972; 1977-1982), Fidelindo Alves Vieira (1983-1988), Jorge Teixeira da Rocha (1989-1992; 1997-2000; 2001-2004), Almir José Pereira (1993-1996), Eduardo Silva Santana (01/01/2005 -12/02/2006; 16/08/2006 – 31/12/2008), José Nilton Antônio da Silva (13/02/2006 -15/08/2006), João Francisco Santos (2009 – 2012, atual prefeito).

Vista aérea do centro de Tanhaçu - 2004

 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 CARACTERÍSTICAS GEOGRÁFICAS

O município de Tanhaçu localiza-se na macrorregião Centro-Sul Baiano e na microrregião da chapada Diamantina Meridional. Está incluído no território denominado Sertão Produtivo, abrangendo uma área total de 1540 km². Apresenta coordenadas geográficas em relação a latitude sul 14° 01' e 41° 14' de longitude oeste. Ligada pelas rodovias BA-030 e BR-116 à capital do estado e às regiões nordeste e sudoeste do país. Sua distância em relação à capital (Salvador) é de 470 Km.

Limita-se ao norte com Ituaçu e Contendas do Sincorá, ao Sul com Aracatu, a oeste com Mirante e Caetanos e a leste com Brumado e Aracatu.

Possui dois distritos, Tanhaçu (sede) e Suçuarana; sete povoados, Ourives, Laços, Várzea da Pedra, Torta, Riacho Dantas, Tucum e Pé-do-Morro. E uma vila, Suçuarana.

Na região, predomina o clima semi-árido sendo a temperatura média anual de 22,6 °C; 28,2 °C a máxima e 18,6 °C a mínima.

A vegetação tem característica predominante de caatinga arbórea aberta, sem palmeiras, caatinga arbórea densa, com palmeiras e caatinga-floresta estacional.

A hidrografia é constituída por barragens, açudes, poços artesianos e rios , sendo os principais: Rio de Contas, Rio de Ourives, Rio Mato Grosso (Laços), Rio Gavião. Possui uma única Bacia Hidrográfica, denominada Contas.

ASPECTOS DEMOGRÁFICOS

O município de Tanhaçu, de acordo com o IBGE, censo 2000, a população é de 20.044 habitantes sendo 10.163 homens e 9.881 mulheres. Desta população 35,01% estão na zona urbana (7.017) e a maioria 64,99% (13.027) reside na zona rural. No Município nota-se um grande movimento migratório, destacando-se o deslocamento de trabalhadores rurais para o estado de Minas Gerais, no período da colheita do café, entre os meses de maio e setembro.

Tanhaçu é um município jovem, de pessoas também jovem, 30,6% da população tem menos de 15 anos, 22,08% da população tem entre 15 e 24 anos.

Sua etnia é típica da diversidade racial brasileira, formada por 58,49% pardos; 35,22% brancos; 6,07% Negros.

 

 CARACTERÍSTICAS SOCIOECONÔMICAS

No município existem as formas de produção baseadas na terra, no trabalho e no capital. Com um território de Identidade denominado Sertão Produtivo, a economia prospera a cada dia. É predominante a pecuária de suínos, eqüinos, asininos, muares e ovinos.

Na hortifruticultura, há o cultivo de frutas (goiaba, manga, limão, maracujá, graviola, coco, entre outras), hortaliças, verduras e legumes, os quais são vendidos na região e exportados para todo o estado.  No setor de bens minerais, há a produção de cal e cálcario.

Sua estrutura fundiária é formada por pequenas propriedades, não existindo a herança de grandes latifúndios no município e o setor industrial possui algumas indústrias de pequeno porte, produzindo: blocos, tijolos, cal, lajes, tecidos de malhas, móveis,entre outros.

O comércio é variado e composto por casas comerciais, que vendem por atacado e varejo os mais diversos tipos de mercadorias, e também pela feira livre que é realizada semanalmente (segunda-feira) na Praça do Mercado Municipal.

Conforme dados do IBGE, o número de estabelecimentos industriais do município até o ano de 1995, totalizou-se 35, com a seguinte distribuição: 11 de minerais nao-metálicos, 01 de metalurgia, 05 de madeira, 03 mobiliário, 01 de produtos alimentícios, 06 de construçao e 08 diversificadas.

Seu parque hoteleiro é composto por quatro pousadas constituindo-se aproximadamente de 100 (cem) leitos. No ano de 2001 o município registrou 3811 consumidores de energia elétrica com um consumo de 5519mwh.

Segundo dados da SEI/IBGE, o PIB do município para 2003 foi de R$38,48 milhões, sendo 30,31% para agropecuária, 10,70% para indústria e 58,99% para serviços, possuindo  01 agência bancária, o Banco do Brasil S/A.

No município, a base da economia é composta por lavradores e quanto aos indicadores de renda e pobreza, o municípes vem melhorando sua qualidade de vida. O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) teve um aumento de 0,177 entre os anos de 1991 e 2000, sendo de 0,653 e a  renda per cápita aumentou de 65,50 para 118,87. Segundo dados do IBGE somente 49,82% da população com mais de 10 anos de idade é economicamente ativa.

 CARACTERÍSTICAS CULTURAI

Festa da Padroeira Nossa Senhora do Perpetuo Socorro

 
: Cultura é o conjunto de características humanas que não são inatas, e que se criam e se preservam ou aprimoram através da comunicação e cooperação entre indivíduos em sociedade. Com base neste conceito, identificamos como manifestações culturais no Município: os reisados, as atividades das benzedeiras, os cultos afro-brasileiros, as festas religiosas voltadas aos padroeiros dos povoados, distritos e sede, as comemorações juninas, o aniversário da cidade, a capoeira e o artesanato local (bordados em ponto cruz, vagonite, crochê, tricô; esculturas em argila e madeira; pinturas em telas, panos de prato, toalhas, lençóis; confecção de utensílios domésticos em argila; vassouras, chapéus, esteiras de palha.

Arraia de Tanhaçu

 
Existem poucos estabelecimentos socioculturais, entre eles podemos destacar: a biblioteca, a área de eventos municipal, o ginásio de esportes, as instituições de ensino e as igrejas. Destacam-se como feriados municipais a festa da padroeira de Tanhaçu (30 de julho) e o aniversário da cidade (22 de setembro) e a festa de São João a qual, todos os anos, atraem um grande número de visitantes para o município. Para tanto, constrói-se um grande arraia na praça Luis Eduardo Magalhães, e foliões se divertem ao som de artistas regionais e bandas de forró de reconhecimento nacional.

Analisando a atuação das novas gerações, percebe-se que a preservação da cultura já não está tão presente no cotidiano. Antigamente, os costumes culturais eram respeitados e passados de geração em geração, hoje as tradições estão se perdendo devido às influências das novas tecnologias da comunicação e informação.

 

 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

www.winkipedia.com.br acessado em 10/08/2009

www.ibge.gov.br acessado em 10/08/2009

Entrevistas com moradores disponíveis na Biblioteca Municipal

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas – Agência Brumado